CEPHO

O câncer nasofaríngeo, embora raro, é um tipo de câncer que se origina na nasofaringe, localizada na parte superior da garganta atrás do nariz. Apesar de sua raridade, o câncer nasofaríngeo apresenta características que o tornam particularmente perigoso, exigindo atenção e conhecimento para o diagnóstico precoce e tratamento eficaz.

Sintomas sutis e atraso no diagnóstico

Um dos aspectos mais desafiadores do câncer nasofaríngeo é a sua apresentação inicial com sintomas sutis e inespecíficos, como sangramento nasal, congestão nasal, dor de ouvido e zumbido. Esses sintomas podem ser facilmente confundidos com outras condições, atrasando o diagnóstico e permitindo que o tumor se desenvolva.

Localização escondida e crescimento invasivo

A nasofaringe, por sua localização profunda e inacessível à visualização direta, dificulta a detecção precoce do tumor. Além disso, o câncer nasofaríngeo tem a tendência de crescer de forma invasiva, infiltrando-se em estruturas adjacentes como os gânglios linfáticos, cavidades nasais e base do crânio, o que torna a cirurgia mais complexa e aumenta o risco de metástases.

Alta propensão à metástase

O câncer nasofaríngeo apresenta uma alta propensão à metástase, ou seja, à disseminação para outras partes do corpo através da corrente sanguínea ou linfática. Os locais mais comuns de metástase incluem os gânglios linfáticos do pescoço, fígado, pulmões e ossos. Essa característica torna o tratamento mais desafiador e reduz as chances de cura.

Associação com o vírus epstein-barr

O vírus Epstein-Barr (EBV) está fortemente associado ao desenvolvimento do câncer nasofaríngeo. Cerca de 90% dos casos de câncer nasofaríngeo em todo o mundo estão relacionados à infecção pelo EBV. Esse vírus aumenta o risco de desenvolver o câncer, especialmente em indivíduos com histórico familiar da doença ou outras predisposições genéticas.

Resistência à radioterapia e quimioterapia

O câncer nasofaríngeo pode ser resistente à radioterapia e quimioterapia, os pilares do tratamento tradicional para tumores malignos. Essa resistência torna o tratamento mais complexo e exige a busca por alternativas terapêuticas, como a terapia-alvo e a imunoterapia, que ainda estão em desenvolvimento.

Fatores de risco e prevenção

Embora as causas exatas do câncer nasofaríngeo ainda sejam investigadas, alguns fatores de risco estão associados à doença, como:

A prevenção do câncer nasofaríngeo é complexa devido à multicausalidade da doença. No entanto, algumas medidas podem ser tomadas para reduzir o risco, como:

Gostou do conteúdo? Não deixe de acompanhar o CEPHO em todas as redes sociais: InstagramFacebook e LinkedIn.

É profissional de saúde? Acesse nossa área exclusiva e cadastre-se em nossa newsletter!