O impacto da pandemia na prevenção do câncer de mama: uma realidade que precisa ser revertida!

O sentimento de pânico gerado pela pandemia causou muitas dúvidas e angústia na população. Muitas pessoas deixaram de procurar ajuda médica por terem medo de se expor ao vírus e, assim, ter a possibilidade de espalhá-lo para os seus familiares e amigos, ou, até mesmo, desenvolver a forma mais grave da Covid-19.

No entanto, há outras doenças que também merecem a nossa atenção e, infelizmente, elas não nos dão um tempo de descanso. Entre os danos à nossa saúde também estão os indiretos, os não causados pelo coronavírus, mas sim por atrasos em consultas, exames complementares, tratamentos e cirurgias. Principalmente se pensarmos nos exames de prevenção do câncer, como o de mama e de colo de útero, cujos atrasos ainda se acumulam.

Não só os pacientes oncológicos foram afetados por esta situação, mas também todas as pessoas com outras doenças crônicas, com doenças raras e várias outras. Em alguns casos, até mesmo eventos agudos como ataques cardíacos não foram tratados como deveriam.

Segundo o Sistema Único de Saúde (SUS), 61% dos profissionais de saúde afirmaram que os tratamentos, em geral, sofreram alterações, 19% disseram que os exames de acompanhamento foram cancelados e 15% das quimioterapias, remarcadas.

Em 2020, o SUS registrou menos um milhão de exames de mamografia no primeiro semestre, em comparação com o mesmo período de 2019, impactando diretamente no diagnóstico precoce do câncer de mama no Brasil.

Os efeitos negativos dos atrasos podem se manifestar com o passar do tempo, dentro de alguns anos, e serão detectáveis pelo aumento de sua mortalidade. De acordo com a OMS, os atrasos no diagnóstico e tratamento no Reino Unido podem levar a um aumento de 15% nas mortes por câncer colorretal e 9% por câncer de mama nos próximos cinco anos.

Apesar do medo de se contaminar, precisamos ressaltar que os laboratórios de diagnóstico e os consultórios médicos são ambientes seguros, já que esses locais seguem todas as recomendações sanitárias do Ministério da Saúde.

Por isso, neste Outubro Rosa, reforçamos a necessidade da prevenção, pois quanto mais precoce o diagnóstico, maiores são as chances de cura.  E, para isso, é necessário realizar os exames de rotina anualmente. Além disso, também precisamos cuidar da nossa saúde geral, com a adoção de hábitos de vida mais saudáveis e a prática de exercícios físicos. Com isso, diminuímos a chance de desenvolver vários tipos de enfermidades e melhoramos o nosso bem-estar com a vida!